Corpo Crítico

Partilhar e se demorar nas imagens, deslocar o olhar e os lugares acostumados para imaginar, através de vozes singulares, outras maneiras de responder e se relacionar com os filmes por meio da palavra escrita. 

Desde 2018 o FestCurtasBH integra em sua programação a oficina de crítica Corpo Crítico, expandindo seu caráter formativo e de construção conjunta de pensamento em torno dos filmes. Os textos resultantes da oficina são publicados no site do Festival, onde ficam disponíveis de forma permanente, constituindo o início de uma fortuna crítica sobre os curtas exibidos no Festival. 

A primeira edição da Corpo Crítico foi conduzida pela crítica e pesquisadora Carol Almeida. Com o título “Por um deslocamento do olhar”, a oficina se propôs a “não apenas despertar um olhar mais atento e ativo em relação aos filmes, como também entender o que a definição do olhar cinematográfico implica estética e politicamente”.