Como pensar o fazer crítico em meio às crises sanitárias, econômicas, políticas que nos estilhaçam? Como partilhar o encontro e o pensamento através das múltiplas telas que tanto nos conectam quanto nos enquadram? Se a crítica de cinema pode ser essa conversa interminável entre filmes, realizadoras e realizadores e os públicos, como essa crítica se (re)posiciona nos festivais em casa? Essas são perguntas que propomos como inquietações partilhadas para os encontros (online) do Corpo Crítico durante o FestCurtasBH 2020.

Diante de incertezas e precariedades escancaradas pandemicamente, propomos essa oficina teórica-prática como uma partilha de experimentos críticos sobre filmes. Movendo-nos com as reflexões de Denise Ferreira da Silva e sua Poética Negra Feminista para pensarmos o cinema, os filmes e a crítica cinematográfica como partes implicadas de um mundo implicado. Um mundo em que tudo está permanentemente conectado, e do qual as imagens e o cinema não se desconectam. Assim, os encontros teóricos-práticos do Corpo Crítico deste ano convidam os participantes da oficina ao desenvolvimento de experimentos críticos que se impliquem com e impliquem a programação de filmes do FestCurtasBH 2020.

(por Kênia Freitas – crítica tutora da terceira edição do Corpo Crítico do 22ºFestCurtasBH)
 

 

 

Entre Nós e o Mundo potencializa o sentimento de esperança do que restou de uma tragédia

por Egberto Santana

Entre Nós e o Mundo potencializa o sentimento de esperança do que restou de uma tragédia por Egberto Santana   Meu primeiro impulso ao terminar de assistir Entre Nós e o Mundo (Fábio Rodrigo, 2019) foi de procurar o nome de Theylor na internet. Não encontrei. Fui corrigido para Taylor (…)

Fouyé Zétwai (2020) – Cinema de poesia como travessia para um cinema implicado

por Lira Kim

Fouyé Zétwai (2020) – Cinema de poesia como travessia para um cinema implicado por Lira Kim   Sob as nuvens e sobre a plantação, ressoa o entoar de um canto. A voz vira palavra e, em crioulo, ouvimos “um, dois, três…”; e a estória de uma cabritinha que desaparece sem (…)

Gravitações em torno de um feminino

por Iakima Delamare

Gravitações em torno de um feminino. sobre Mat e As Gravitantes, de Pauline Penichout por Iakima Delamare   Quando li a sinopse do filme sobre garotas em uma oficina de auto ginecologia pensei que de alguma forma eu estaria para além disso. Que por algum motivo meus 24 anos de (…)

Mineiros (Amanda Dias, Minas Gerais, 2019)

por Manu Ribeiro

Mineiros (Amanda Dias, Minas Gerais, 2019) por Manu Ribeiro   A cidade, o verde, o rio, as vidas, vestígios, abandono, angústia, vazio, descaso, os rastros. Ficaram as ruínas da catástrofe (para lembrar Walter Benjamin), o sentimento de impunidade e algumas placas que sinalizam a rota de fuga e a proibição (…)

REBENTO

por Patrícia Bssa

Rebento por Patrícia Bssa   Curta metragem integrante da Mostra Nacional Competitiva 3, Rebento (2019, 18’), do diretor baiano Vinicius Elizário, começa no retorno de uma noite de paredão, quando Pedro (Pedro Riccardo), o Zóio e Lôro (Gabriel Piedade), homens negros jovens e Jéssica (Jéssica Moura), mulher negra jovem, voltam (…)

semear, enraizar, florescer outros mundos

por Nicole Batista

semear, enraizar, florescer outros mundos por Nicole Batista   “Eu sou Semente da Terra. Qualquer pessoa pode ser. Um dia acho que seremos muitos. E acho que teremos que espalhar nossas sementes cada vez mais longe desse lugar moribumdo.” (A Parábola do Semeador, Octávia Butler) Rostos negros coroados com obras (…)