CAROLE ROUSSOPOULOS: CÂMERA NA MÃO, CORPO NA LUTA

 

SUMÁRIO

Apresentação
por Ana Siqueira 

ENSAIOS E ENTREVISTA 

Carole Roussopoulos, videasta dos primeiros tempos e feminista
por Hélène Fleckinger

Carole Roussopoulos, gigante do cinema político
por Nicole Brenez

 

FOTOGRAMAS COMENTADOS

Nota introdutória

Em meio ao abismo do não-saber
Genet parle d’Angela Davis
por Lorenna Rocha

A dança engajada entre a rua e o rosto
Le FHAR  – Front Homosexuel d’Action Révolutionnaire 
por Carol Almeida

Da terra ao ar: a privação e a leveza em dois fotogramas de Munich
Munich 
por Patrícia Machado

Onde fica o coração da multidão?
Y’a qu’à pas baiser! 
por Ingá

O cinema operário e feminista de Carole Roussopoulos
LIP 1: Monique (1973) e LIP 5: Christiane e Monique (1976)
por Julia Fagioli

Nossas insubmissas companheiras de luta: notas sobre SCUM Manifesto
SCUM Manifesto 
por Carla Italiano

Romper a clausura, desmontar o teatro
Maso et Miso vont en bateau 
por Camila Vieira