FILMES SELECIONADOS

COMPETITIVAS || Internacional, Brasil e Minas

É com enorme alegria e satisfação que o 21º FestCurtasBH – Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte anuncia a lista de filmes selecionados para as mostras competitivas Internacional, Brasileira e Mineira desta edição de 2019. Neste ano, o 21FestCurtasBH recebeu mais de 2600 filmes de curta-metragem, sendo 2181 obras internacionais e 434 obras nacionais, dentre as quais, mais de 100 obras integram a nossa programação dividida entre Competitivas, Mostras Paralelas e Mostras Especiais.

O 21º FestCurtasBH – Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte será realizado de 30 de agosto a 08 de setembro de 2019, no Cine Humberto Mauro da Fundação Clóvis Salgado / Palácio das Artes e toda a programação é gratuita.

COMPETITIVA INTERNACIONAL
“A Month of Single Frames”, de Lynne Sachs (Estados Unidos da América)
“ALTIPLANO”, de Malena Szlam (Canadá / Chile / Argentina)
“And What is the Summer Saying”, de Payal Kapadia (Índia)
“Black Bus Stop”, de Kevin Jerome Everson e Claudrena N. Harold (Estados Unidos da América)
“Ceniza Verde”, de Pablo Mazzolo (Argentina)
“Clando Bi”, de Paul Choquet, Moustapha Guèye, Olivia Frey, Elisa Gomez Alvarez e Yoro Mbaye (Suíça)
“Como Fernando Pessoa Salvou Portugal”, de Eugène Green (Portugal / França / Bélgica)
“Monument of Distance”, de Azar Saiyar (Finlândia)
“Mescaline”, de Clarisse Hahn (França / México)
“My Expanded View”, de Corey Hughes (Estados Unidos da América)
“Parsi”, de Teddy Williams (Suiça / Argentina / Guiné-Bissau)
“PATTAKI”, de Everlane Moares (Cuba)
“Rise”, de Barbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil / Estados Unidos da América / Canadá)
“Shakti”, de Martín Rejtman (Argentina / Chile)
“Shortcuts”, de Daniela Viteri (Equador)
“Sojourner”, de Cauleen Smith (Estados Unidos da América)
“The Imminent Immanent”, de Carlo Francisco Manatad (Filipinas / Singapura / Itália)
“Vever (For Barbara)”, de Deborah Stratman (Estados Unidos da América)

COMPETITIVA BRASIL
“A felicidade delas”, de Carol Rodrigues (São Paulo)
“A Mentira”, de Klaus Diehl e Rafael Spínola (Rio de Janeiro)
“Agora como antes”, de Thiago Carvalhaes (São Paulo)
“Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno”, de Leon Reis (Ceará)
“Estranho Animal”, de Arthur B. Senra (Minas Gerais / Distrito Federal)
“Eu, Minha Mãe e Wallace”, de Eduardo Carvalho e Marcos Carvalho (Rio de Janeiro)
“Filhas de lavadeiras”, de Edileuza de Souza (Distrito Federal)
“Ilhas Pribilof”, de André Lage (Minas Gerais – Brasil / França)
“Kerexu”, de Leonardo Remor (Rio Grande do Sul)
“Looping”, de Maick Hannder (Minas Gerais)
“NEGRUM3”, de Diego Paulino (São Paulo)
“Nome de Batismo – Frances”, de Tila Chitunda (Pernambuco)
“Quando Elas Cantam”, de Maria Fanchin (São Paulo)
“Quebramar”, de Cris Lyra (São Paulo)
“Ronda”, de Mauricio Battistuci e Francisco Miguez (São Paulo)
“Sem Asas”, de Renata Martins (São Paulo)
“Sete Anos em Maio”, de Affonso Uchoa (Minas Gerais – Brasil / Argentina)
“Um Ensaio Sobre a Ausência”, de David Aynan (Bahia)

COMPETITIVA MINAS
“Nove águas”, de Gabriel Martins (Belo Horizonte – MG)
“Aurora”, de Leo Ayres (Belo Horizonte – MG)
“A Mulher Que Eu Era”, de Karen Suzane (Belo Horizonte – MG)
“Como se o céu fosse oceano”, de Breno Henrique (Belo Horizonte – MG)
“Ângela”, de Marília Nogueira (São Sebastião do Paraíso – MG)
“Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados”, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito (Belo Horizonte – MG / Pernambuco)