Coordenação de programação e curadoria 

Ana Siqueira atua em curadoria, pesquisa, tradução e produção de cinema. Coordenadora de programação do 15º, 16º (co-coordenação), 19º e 20º FestcurtasBH (2013, 2014, 2017 e 2018), foi programadora do Cine Humberto Mauro e é curadora da mostra de cinema infantil do Festival SACI. Mestranda em Comunicação Social pela UFMG, onde também se graduou, e diplomada em Filosofia pela Universidade Paris 8. Foi diretora assistente do filme A Cidade Onde Envelheço, de Marília Rocha.

 

Seleção/curadoria
(Competitiva Internacional)

Anna Flávia Dias Salles é roteirista, com experiência em longas e curtas-metragens, documentários, programas e séries de televisão. Doutoranda em Estudos Literários na área de Intermidialidades pela Faculdade de Letras da UFMG.

Gabriel Martins é diretor, roteirista, diretor de fotografia, montador e produtor de cinema. Trabalhou em mais de 20 filmes exibidos em festivais ao redor do mundo. Escreveu e dirigiu filmes como Dona Sônia Pediu uma Arma para seu Vizinho Alcides (selecionado para o Festival de Roterdã e Festival de Clermont Ferrand), Rapsódia para o Homem Negro (prêmio Canal Brasil no Festival de Brasília) e Nada (selecionado para a Quinzena dos Realizadores, em Cannes). É sócio da produtora mineira Filmes de Plástico, responsável por curtas como Fantasmas, Contagem, Pouco Mais de um Mês, Quintal e longas como Ela Volta na Quinta, Temporada e No Coração do Mundo (em finalização).

Hannah Serrat atua em pesquisa, crítica e produção de cinema. Mestre e doutoranda em Comunicação Social pela UFMG. Faz parte do grupo de pesquisa Poéticas da Experiência e tem grande interesse pelos modos de aparição dos povos e territórios periféricos no cinema. Publicou textos em revistas acadêmicas e catálogos de mostras e festivais. É também crítica colaboradora das revistas Cinética e Rocinante. Em 2015, produziu Retalho, seu primeiro filme.

Luís Fernando Moura atua em curadoria, pesquisa, programação e docência de cinema. Desde 2015, é coordenador de programação do Janela Internacional de Cinema do Recife. Publicou reportagens, ensaios e críticas em jornais, revistas, catálogos e revistas acadêmicas. Graduado em Comunicação Social pela UFPE, é mestre e doutorando em Comunicação Social pela UFMG, onde integra o grupo de pesquisa Poéticas da Experiência. Foi um dos curadores das mostras Brasil Distópico, no Rio de Janeiro, e L.A. Rebellion: Um Novo Cinema Negro, no Recife.

Maria Ines Dieuzeide é pesquisadora de cinema, doutora em Comunicação Social pela UFMG e mestre em Imagem e Som pela UFSCar. É uma das curadoras do Cineclube Sorpasso, faz parte do grupo de pesquisa Poéticas da Experiência e atua na produção e edição da Revista Devires – Cinema e Humanidades, dos Programas de Pós-graduação em Comunicação Social e em Antropologia da UFMG.

Marisa Merlo é graduada em Cinema pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP/UNESPAR). Foi sócia da Grafo Audiovisual entre 2008 e 2016. É fundadora e foi diretora do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. Atua como curadora no Olhar de Cinema desde 2012, além de passagens pelo Festival de Brasília (2016 e 2017), Bienal do Cinema Sonoro (2017) e CachoeiraDoc (mostra Com Mulheres, 2016). Como produtora executiva, seus principais filmes são os longas-metragens O Filho Eterno (2016), Para Minha Amada Morta (2015) e A Gente (2013), além da série de TV Nóis por nóis (2017).

 

Seleção/curadoria
(Competitiva Brasil / Minas)

Francine Barbosa é roteirista. No cinema, participou das equipes de roteiro do longa-metragem A Cidade Aqui Dentro, dirigido por Matias Mariani (com previsão de estreia em 2018), e do terceiro longa-metragem de Dea Ferraz, Castela (em financiamento), além de curtas-metragens. O argumento do longa-metragem Azul Violeta, escrito com Maurilio Martins, foi contemplado no Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro (PRODAV) em 2016. Na televisão, desenvolveu projetos de seriados para diversas produtoras e foi roteirista da série A Revolta dos Malês (estreia em 2018).

Mariana Souto é doutora e mestre em Comunicação Social pela UFMG, onde pesquisou o cinema brasileiro. Atualmente é pós-doutoranda pela ECA-USP sob supervisão de Ismail Xavier. Professora de graduação em Cinema e Audiovisual do Centro Universitário UNA. É uma das curadoras do Cineclube Comum e da Mostra Corpo e Cinema (Caixa Cultural). Integrante do júri da mostra de curtas brasileiros do Janela Internacional de Cinema do Recife (2017). Diretora de arte, figurinista e assistente de montagem.

Siomara Faria atua em curadoria, pesquisa, programação e desenvolvimento de projetos na área audiovisual. Atualmente dirige o Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte (MIS-BH), ao qual está vinculado o MIS Cine Santa Tereza. Foi programadora de cinema do Sesc Palladium entre 2012 e 2015. É mestre em Comunicação Social pela UFMG, onde também fez pós-graduação em Imagens e Culturas Midiáticas.

Vinícius Andrade é mestre em Comunicação Social pela UFPE. Atualmente é doutorando na mesma área pela UFMG. Foi curador do 17º e 19º FestcurtasBH e do Cineclube Sorpasso. Tem contribuído com revistas, festivais e mostras de cinema brasileiro, como forumdoc.bh, Revista Continente, CurtaCircuito. Co-diretor do curta Mudança de Hábito, integrou durante dois anos a equipe de audiovisual do Projeto Formação Transversal em Saberes Tradicionais (UFMG). É membro da Rede Coque Vive (PE), pela qual trabalhou na série de curtas-metragens Despejos e no cineclube CineCoque.