MÃTÃNÃG, A ENCANTADA

(MÃTÃNÃG, A ENCANTADA)

Minas Gerais, 2019, 14'

Competitiva Brasil 3

Realizado com os Maxakalis de Aldeia Verde (MG), este filme reconta, por meio da animação – com uma gama de cores, contornos e passagens –, uma história tradicional desse povo indígena. Mãtãnãg, seguindo os passos do espírito do seu companheiro morto, atravessa barreiras até chegar na aldeia dos mortos. O convívio neste outro plano faz ela escolher voltar à imanência. No entanto, a linha que separa os planos de existências é tênue, e rompê-la incide em transformações e retornos.

(Fabio Rodrigues)



direção Shawara Maxakali, Charles Bicalho

roteiro Pajé Totó Maxakali, Charles Bicalho

produção Charles Bicalho, Cláudia Alves, Marcos Henrique Coelho

animação Jackson Abacatu

fotografia Jackson Abacatu

montagem Charles Bicalho, Jackson Abacatu, Marcos Henrique Coelho
arte e figurino Charles Bicalho, Jackson Abacatu, Comunidade Maxakali de Aldeia Verde

som Guilherme Bahia

trilha sonora original Cantos tradicionais maxakalis

elenco principal Alexandre Maxakali, Ariston Maxakali, Cassiano Maxakali, Eliana Maxakali, Erismar Maxakali, Evaldo Maxakali, Gerente Maxakali, Mamei Maxakali, Marcinho Maxakali, Marco Maxakali, Paulinho Maxakali, Shawara Maxakali

 

empresa produtora Pajé Filmes

 

contato charlesbicalho@gmail.com

OS ÚLTIMOS ROMÂNTICOS DO MUNDO (LSE)

(OS ÚLTIMOS ROMÂNTICOS DO MUNDO)

Pernambuco, 2020, 23'

Sessão Acessibilidade (LSE)

Nas últimas horas de 2050, um casal de mãos dadas revigora a promessa de irem juntos até depois do fim do mundo. Resta uma dúvida: é a apocalíptica nuvem rosa que ativa uma série de memórias nos dois ou são eles que, ao rememorar a vida que partilharam, formam uma nuvem capaz de encobrir de cores o mundo cinza? Neste filme, o primeiro romântico do mundo acena aos últimos, legando uma lição aos que virão. Aqui, múltiplas temporalidades e referências estéticas sonham uma vida plural porvir.

(Fabio Rodrigues)



direção Henrique Arruda

roteiro Henrique Arruda

produção Anna Andrade (Direção de Produção)

animação Creative Commons

fotografia Breno César

montagem Sylara Silvério

arte e figurino Carlota Pereira, Maria Esther Albuquerque

som Catharine Pimentel, Mago de Andrade

elenco principal Mateus Maia, Carlos Eduardo Ferraz, Gilberto Brito, Sóstenes Fonseca, Sharlene Esse, Raquel Simpson, Odilex Lins, Suelanny Carvalho e Andreia Valois

 

empresa produtora Filmes de Marte, Portela Produções, Tarrafa Produções

 

contact hickarruda@gmail.com

O QUE PODE UM CORPO? (LSE)

(O QUE PODE UM CORPO?)

Brasil, 2020, 14'

Sessão Acessibilidade (LSE)

Um bebê nasce, mas não chora. Um corpo grita e não é ouvido. As tintas que escorrem em um futuro prometido não chegam em uma pessoa com deficiência. Victor faz de si mesmo a tela, em um universo de pintores ausentes.



direção Victor Di Marco, Márcio Picoli

roteiro Victor Di Marco, Márcio Picoli

produção Laura Moglia, Márcio Picoli, Aline Gutierres, Victor Di Marco

fotografia Bruno Polidoro

montagem Victor Di Marco, Márcio Picoli

arte e figurino Valeria Verba

som Guilherme Cássio, Jonts Ferreira

trilha sonora original Casemiro Azevedo, Vitório O. Azevedo

elenco principal Victor Di Marco

 

empresa produtora Proa Cultural, Balde de Tinta Filmes

 

contato marcio.picoli@gmail.com

SEREMOS OUVIDAS (LSE)

(SEREMOS OUVIDAS)

Paraná, 2020, 13'

Sessão Acessibilidade (LSE)

Lançando olhar ao silenciamento das mulheres surdas pelo sistema ouvinte, este filme articula os relatos de três mulheres, produzindo uma denúncia e uma contundente afirmação subjetiva. Em Seremos Ouvidas, as entrevistas são costuradas às imagens de protestos na rua e ao gesto de esculpir, produzindo nessa articulação um comentário e um pensamento sobre a luta. O lema prospectivo no título do curta junto à construção fílmica fazem dele um filme de intervenção política que lança um chamado ético.

(Fabio Rodrigues)



direção Larissa Nepomuceno

roteiro Larissa Nepomuceno

produção Larissa Nepomuceno, Lucía Alonso, Lucas Veiga

fotografia Lucía Alonso, Eduardo Sanches, Rodrigo Franco

montagem Larissa Nepomuceno, Fábio S. Thibes, Lucas Teixeira

arte e figurino Lucas Veiga

som Carmen Agulham

elenco principal Celma Gomes, Klicia Campos, Gabriela Grigolom

 

empresa produtora Beija Flor Filmes

 

contato larissanpmoreira@gmail.com, filmesbeijaflor@gmail.com

REBENTO (LSE)

(REBENTO)

Bahia, 2019, 18'

Sessão Acessibilidade (LSE)

O que aparentava ser um banal mal-estar entre um jovem casal de namorados se ressignifica em razão de uma importante notícia: Jéssica está grávida e revela a novidade para Zói. Enquanto ela busca acolhimento e diálogo, ele adentra numa espiral reflexiva, potencializada pelas incertezas da busca por emprego. Mas as mulheres ao redor serão decisivas na tarefa de fazê-lo ver a raiz do problema: o ciclo de ausência paterna que ele mesmo viveu e agora pode transformar.

(Vinícius Andrade)



direção Vinícius Eliziario

roteiro Vinícius Eliziário

produção Edson Jr

animação João Reuter

fotografia Vinícius Eliziario

montagem Vinícius Eliziario

arte e figurino Roberjan Magalhães

som Icaro da Hora

elenco principal Pedro Riccardo, Jéssica Duarte, Gabriel Piedade, Juliette Nascimento, JP Santos

 

empresa produtora Boca de Filmes

 

contato contato.bocadefilmes@gmail.com

GENET FALA DE ANGELA DAVIS

(GENET PARLE D’ANGELA DAVIS)

França, 1970, 7'

Carole 1

No dia seguinte à prisão de Angela Davis, em outubro de 1970, Jean Genet lê, em três repetições, um texto denunciando a política racista dos Estados Unidos, em apoio ao partido dos Panteras Negras e à Angela Davis, para uma transmissão televisiva que acabaria censurada.



direção Carole Roussopoulos

contato doc@centre-simone-de-beauvoir.com

EL DORADO

(EL DORADO)

México, 2020, 4'

A Vida das Coisas 1

A suposta existência de um reino dourado motivou numerosas expedições na América que se mantiveram vigentes até o século XIX, à medida que avançava o processo de conquista e colonização do território sul-americano. Trajeto e deriva do colonialismo extrativista, que está longe de terminar.



direção Colectivo Los Ingrávidos

roteiro Colectivo Los Ingrávidos

produção Colectivo Los Ingrávidos

animação Colectivo Los Ingrávidos

montagem Colectivo Los Ingrávidos

som Colectivo Los Ingrávidos

 

contato colectivolosingravidos@gmail.com

MASO E MISO VÃO DE BARCO

(MASO ET MISO VONT EN BATEAU)

França, 1976, 55'

Carole 3

No dia 30 de dezembro de 1975, após assistirem, no canal Antenne 2, ao programa gentilmente misógino de Bernard Pivot intitulado “Mais um dia e o ano da mulher… Ufa! Acabou”, que tinha como convidada Françoise Giroud, quatro feministas subvertem o programa por meio de intervenções humorísticas e irreverentes, chegando à conclusão de que “a Secretaria de Estado da Condição da Mulher é uma mistificação”.



direção Carole Roussopoulos, Ioana Wieder, Delphine Seyrig, Nadja Ringart (Les Muses s’amusent)

contato doc@centre-simone-de-beauvoir.com

A LIÇÃO DE CINEMA DE CAROLE ROUSSOPOULOS

(LA LEÇON DE CINÉMA DE CAROLE ROUSSOPOULOS)

França, 2000, 40'

Carole 3

O princípio de Lição de cinema é oferecer a cada diretora um momento de confidência e cumplicidade com sua biografia, seu itinerário profissional, seus segredos de fabricação, sua filmografia e seu estilo. Cada uma responde à sua maneira, dando uma resposta radical à questão da existência de um cinema de mulheres: há tantos estilos quanto personalidades.



direção Jackie Buet

fotografia Patricia Godal

produção Festival international de films de femmes de Créteil

 

contato filmsfemmes@wanadoo.fr

SCUM MANIFESTO

(SCUM MANIFESTO)

França, 1976, 27'

Carole 2

Uma leitura encenada de trechos do “SCUM Manifesto”, de Valerie Solanas, editado em 1967 e rapidamente esgotado em francês. Delphine Seyrig traduz algumas passagens para Carole Roussopoulos, que as digita na máquina de escrever. Ao fundo, uma televisão transmite imagens ao vivo do telejornal, no qual ouvimos, em certos momentos, notícias apocalípticas. Assim como o livro, o filme é um panfleto contra a sociedade dominada pela imagem “masculina” e pela ação “viril”.



direção Carole Roussopoulos, Delphine Seyrig (As Insubmusas/Les Insoumuses)

contato doc@centre-simone-de-beauvoir.com